O_Porto_visto_da_Ponte_Dom_Luis_I
Notícias

Alojamento local: Governo mata projecto-lei do PS

Nesta manhã, o Público noticiou uma informação exclusiva sobre o projecto-lei do PS para o alojamento local. De acordo com o jornal, o documento sobre arrendamento de curta duração a turistas apresentado pelos deputados socialistas, Carlos Pereira e Filipe Neto Brandão, não deverá sequer ser agendado para debate na Assembleia da República.

O primeiro-ministro, António Costa, falou sobre os planos para a Habitação durante o final de semana, em Vila Nova de Gaia, pouco depois de criar uma secretaria de Estado, de que é titular a arquitecta Ana Pinho. Ele opõe-se ao projecto-lei do próprio partido, porque é a favor da habitação acessível.

“Não faz sentido aprovar uma lei sobre arrendamento local a turistas que tem a oposição das duas principais cidades, Porto e Lisboa, as quais nem sequer foram ouvidas para a sua elaboração”, defendeu. Os pelos presidentes da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, e da Câmara do Porto, Rui Moreira, estão ambos de acordo com Costa.

O principal problema é que o projecto-lei foi escrito pelos deputados sem coordenação com o Governo, apontou o Público através de fonte oficial. A polémica já dura semanas, principalmente porque o valor dos arrendamentos disparou nos últimos meses. Tanto o Porto, como Lisboa, enfrentam uma crise no mercado do arrendamento. Não há habitação acessível para os habitantes locais e muitas pessoas estão sendo forçadas a buscar casas fora das cidades.

O documento do PS apontava para regras proibicionistas, a serem decididas ao nível do condomínio, dado aos vizinhos o poder de autorizar ou proibir o arrendamento a turistas. Uma fonte ouvida pelo jornal explicou: “A alternativa à situação actual não é proibir o alojamento local, é criar outras fórmulas de resolver o problema. Não faz sentido serem os vizinhos a autorizar quem pode arrendar o espaço das suas casas a turistas, tanto mais que existem já regras legais de civilidade no espaço dos edifícios de habitação.”

Costa quer adotar políticas públicas a favor da classe média, o que considera crucial para o futuro do país. A fonte do Público assegura que o Governo já teria os instrumentos financeiros necessários. Entre eles está a criação do Fundo Nacional de Reabilitação do Edificado, dirigido até agora precisamente pela nova responsável pela Habitação, Ana Pinho.

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar

Your email address will not be published. Required fields are marked *