Notícias

Arroios é a zona preferida pelos estudantes

Com uma renda média de 393 euros, Arroios é a zona mais procurada pelos estudantes para arrendar alojamento em Lisboa. No lado contrário da tabela encontra-se Santa Apolónia, onde a renda média chega aos 564 euros.

Apesar de ser a zona mais barata, e daí, a mais procurada, o valor das rendas em Arroios registou um aumento de 18% relativamente ao ano anterior.

A lista dos bairros mais procurados foi elaborada pela Uniplaces, plataforma especializada no arrendamento a estudantes, e divulgada pela Imprensa nacional, não se restringindo a Lisboa.

No Porto, Paranhos é a zona mais procurada por quem tem de sair de casa dos pais para estudar. Aqui a renda média ronda os 347 euros, representando um aumento de 38% em comparação com o ano passado.

No segundo e terceiro lugares da tabela surgem Cedofeita e Bonfim. No fundo da lista está Santo Ildefonso, onde a renda chega aos 577 euros.

Na cidade tradicional dos estudantes, a Baixa é a preferida com um valor médio de renda de 276 euros, enquanto Penedo da Saudada é a zona mais evitada. Aqui as rendas rondam os 407 euros mensais.

Coimbra apresenta o valor médio mais baixo das cidades portuguesas com as universidades mais procuradas.

Casa completa

O mesmo estudo revela que os estudantes têm preferência por arrendar uma casa inteira. Uma situação que acontece em mais de metade dos contratos assinados e que representa 54% dos arrendamentos em Lisboa, 63% no Porto e 64% em Coimbra.

Segue-se o arrendamento de um quarto privado em casa partilhada e só em última análise é que os estudantes optam por um quarto partilhado.

De acordo com a plataforma, a facilidade de acessos, a diversidade dos transportes públicos e a proximidade às universidades são fatores determinantes na escolha do bairro onde os estudantes arrendam casa ou quarto.

Durante os primeiros seis meses deste ano, e segundo o Notícias ao Minuto, o número de noites reservadas através da plataforma aumentou 24% em comparação com o mesmo período de 2017, ultrapassando a marca de um milhão e trezentas mil noites.

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar

Your email address will not be published. Required fields are marked *