atualização rendas 2018
Guia Senhorio Legislação e Impostos

Atualização das rendas em 2018: como calcular?

Como noticiamos ontem, atualização das rendas em 2018 será a maior dos últimos cinco anos. De acordo com a inflação dos últimos 12 meses do Índice de Preços do Consumidor (IPC), o valor será acrescido de 1,12%, ou um coeficiente de atualização de 1,0112.

É importante ter em conta que o valor da renda resulta da aplicação do coeficiente anual, arredondado para a unidade cêntimo imediatamente superior. O valor do coeficiente de atualização da renda é estipulado anualmente pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) com base na taxa de inflação que resulta da variação do IPC. O coeficiente é posteriormente publicado no Diário da República.

Quanto vai poder aumentar as rendas em 2018?

Como a atualização das rendas em 2018 será mais alta que o ano anterior, muitos senhorios e inquilinos ficam com dúvidas na hora de fazer o cálculo. A primeira coisa que todos têm de saber é que o aumento é válido para todos os contratos de arrendamento celebrados após 1990.

O aumento das rendas pode ser facilmente calculado, multiplicando-se o valor atual da renda pelo coeficiente de atualização em vigor. Vejam-se os seguintes exemplos para rendas de diferentes montantes e com um coeficiente de atualização para 2018 de 1,0112:

Coeficiente de Atualização da Renda 2018 = 1,0112
Valor da Renda 2017 Valor da Renda 2018
€400 €404.48
€500 €505.60
€600 €606.72
€700 €707.84
€800 €808.96
€900 €910.08
€1,000 €1,011.20
€1,100 €1,112.32
€1,200 €1,213.44


A atualização das rendas em 2018 é obrigatória?

Não. O senhorio pode optar por deixar o valor das rendas em 2018 como está. Ou os valores podem ser atualizados conforme estabelecido no contratos de arrendamento. Atualmente, há total liberdade entre senhorio e inquilino para configurar o aumento das rendas de acordo com as necessidades de ambas as partes.

Se decidir atualizar a renda do seu inquilino, tenha em atenção que a primeira atualização só poderá ser exigida após a vigência do primeiro ano de contrato. Se for um contrato que já foi atualizado em anos anteriores, é preciso esperar que se cumpra um ano desde a última atualização.

Outro fator relevante é que mesmo tento a liberdade de negociar o valor das rendas, é preciso que o aumento seja informado com pelo menos 30 dias de antecedência por carta registada. No nosso Portal, disponibilizamos um modelo de comunicação de atualização de rendas. Pode vê-lo aqui.

No entanto o aviso por carta não garante o aumento automático da renda, uma vez que o  inquilino pode recusar a proposta de aumento da renda, devido por exemplo a uma situação de carência financeira comprovada.

Inquilinos com idade superior a 65 anos e com graus de deficiência igual ou superior a 60% também poderão refutar o novo valor. No entanto, esta situação aplica-se durante um período transitório de 8 anos.

E os contratos anteriores a 1990?

Os contratos de arrendamento celebrados antes de 1990 sofreram alterações a partir de novembro de 2012 no âmbito do Novo Regime do Arrendamento Urbano (NRAU). Estes contratos consentem o aumento das rendas mais antigas através da negociação entre ambas as partes – senhorio e inquilino. No caso de as rendas já terem sido objeto de atualização, as mesmas não poderão sofrer um novo aumento.

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar

Your email address will not be published. Required fields are marked *