Investimento

Comprar para arrendar é uma boa opção de investimento?

lisbon

Portugal tem ganho popularidade como destino de férias ao longo dos últimos anos. No primeiro semestre de 2016 tivemos o maior número de visitantes de sempre, com mais de 8,5 milhões de turistas a visitar o país, um crescimento de 10,2% face ao primeiro semestre de 2015. Mas não são só turistas que procuram Portugal. O número de estudantes estrangeiros tem vindo a aumentar nos últimos anos. Entre os fatores diferenciadores está o clima, a gastronomia, diversidade cultural, segurança e os preços atrativos.

O aumento da procura do país como destino de eleição teve um impacto importante no mercado residencial português e fez com que surgissem novos conceitos de habitação. Muitos dos empreendimentos nos centros das principais cidades do país, destinam-se a alojamento de curta ou média duração. Outros fatores, como incentivos do governo à reabilitação, investimento estrangeiro, leis mais favoráveis ao arrendamento e a dificuldade em aceder a crédito para compra de casa têm contribuído para aumentar o investimento em imóveis grandes cidades portuguesas. O destaque vai para Lisboa e Porto, onde o valor do metro quadrado subiu significativamente nos últimos anos, impulsionado pelos arrendamentos de curta e média duração.

De acordo com o Índice de Rendas Residenciais da Confidencial Imobiliário, as rendas entre 2013 e 2016 subiram em média 21% no Concelho de Lisboa. O índice de preços de venda mostra valores ainda mais elevados: uma subida de 47,3% em Lisboa e 36,9% no Porto no mesmo período. E as previsões apontam para uma continuidade desta tendência. Coimbra, embora menos turística, viu uma subida no preço do metro quadrado muito menos acentuada, mas continua a ser muito procurada tanto por estudantes nacionais como por estudantes estrangeiros.

Se pensa em comprar um imóvel para arrendar damos uma lista de pontos a ter em consideração. Tenha sempre em mente que como qualquer investimento, também a compra de imóveis tem risco.

Financiamento: Se pretende pedir um financiamento, saiba que desde de 2015 começamos a ver uma recuperação nos números de créditos concedidos pelos bancos. E os spreads continuam em níveis muito atrativos. Segundo o Banco de Portugal, a taxa média de empréstimos à habitação em 2015 situou-se em 2,1%. Por outro lado, a maior parte dos bancos financia apenas 80%, exigindo que dê os 20% restantes de entrada.

Tipo de arrendamento: Embora o arrendamento residencial lhe traga mais segurança, arrendamento de curta e média duração são os que representam maior rentabilidade anual, já que as taxas cobradas são bem mais elevadas. Pode ainda arrendar o seu imóvel por quartos. O público-alvo para este tipo de arrendamento são turistas, estudantes estrangeiros e trabalhadores realocados.

Localização: O tipo de arrendamento que escolher pode estar muito dependente da localização do imóvel. Imóveis nos centros das cidades e cidades satélite são opções mais seguras para arrendamentos de curta e média duração. Já imóveis em zonas periféricas são opções mais viáveis para arrendamento de longo prazo.

Retorno do imóvel: Para calcular o retorno que o seu investimento vai trazer-lhe, precisa ter em consideração outros custos além do valor de compra do imóvel. Entre eles está o custo com a escritura, impostos, condomínio, custos com seguros, manutenção e arranjos, custo com decoração e custos com limpeza (se optar por arrendamento de curta duração). Para calcular o retorno do seu imóvel só precisa dividir o seu lucro (rendas menos custos) pelo investimento inicial.

Um exemplo simples pode ajudá-lo a entender quanto pode receber mensalmente num imóvel:

Quer comprar um imóvel em Lisboa de 100m2. O preço do metro quadrado para venda é de 3.000€ e o preço de arrendamento é de 14€. Neste caso, o valor de mercado do imóvel é de 300.000€. E o valor do aluguer será de 1.400€ por mês.

Vai optar por pedir um financiamento de 80% do valor do imóvel, ou seja 240.000€, a 30 anos com uma taxa de juro a 2%. A prestação mensal fica a 887,09€.

Neste caso, e sem contar com custos, ficará com 512,91€ por mês. Se quiser testar você mesmo, pode fazer uma simulação aqui.

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar

Your email address will not be published. Required fields are marked *