crédito à habitação
Notícias

Crédito à habitação: saiba onde é mais fácil comprar casa

Porto e Lisboa estão no topo da lista dos municípios mais difíceis de conseguir-se um crédito à habitação. Um dos motivos é o recente aumento da procura na capital e na cidade invicta, eleita melhor destino europeu do ano, para investimento no setor imobiliário.

A queda dos spreads de crédito à habitação também torna o negócio mais atrativo. E ainda tem o facto de que a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) inclui o país no grupo de nações “onde as casas parecem subavaliadas e os preços estão em queda ou praticamente inalterados”. Apenas Alemanha, Coreia do Sul, Grécia e Japão têm mercados tão baratos como cá.

Mas, ao mesmo tempo, as rendas não param de subir. E cada vez mais nota-se que arrendar casa já não é a melhor solução. Por isso, saiba qual as melhores cidades para investir em um crédito à habitação.

2017: melhor ano do mercado

A valorização do turismo e o alto investimento estrangeiro sacudiram o mercado imobiliário português, fazendo crescer os números. Em um ano, o preço das habitações subiu 7,93%, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Transacionaram-se mais de 35 mil alojamentos familiares no primeiro trimestre de 2017, um recorde histórico na base de dados do instituto, que começa em 2009. Luís Lima, presidente da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal, calcula que se venderam 80 mil casas no primeiro semestre, um aumento de 30% face ao ano anterior.

Onde vale a pena comprar casa?

Seixal é o município com melhor recurso ao crédito à habitação. Os apartamentos estão entre os mais baratos de Portugal e os rendimentos dos residentes estão entre os mais elevados. Setúbal, Paredes, Vila Franca de Xira e Santa Maria da Feira também tem condições semelhantes.

De acordo com uma simulação feita pelo Observador, “metade dos apartamentos T2 à venda no Seixal custam menos de 67.100 euros. Quem tenha 20% desse montante (13.420 euros) e recorra a um crédito à habitação a 30 anos para o restante, fica a pagar uma prestação mensal de cerca de 208 euros, assumindo a taxa Euribor a 12 meses mais recente (-0,16%) acrescida de um spread de 2,5%”.

Contudo, a cidade mais fácil para comprar uma casa é Barcelos. Cascais, Funchal, Lisboa, Mafra e Porto são os municípios onde a taxa de esforço demonstrou ser insuficiente para recorrer a um crédito à habitação. “A maioria das instituições financeiras não concede empréstimos a clientes com uma taxa de esforço superior a 30% ou 40%”, indica o Millennium BCP.

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar

Your email address will not be published. Required fields are marked *