validar-faturas
IRS

IRS 2016: Ainda posso validar faturas?

O período de disponibilidade para validar todas as faturas que serão observadas no IRS de 2016 encerrou a 15 de fevereiro. Mas se você lembrou agora de faturas importantes que não validou no Portal E-fatura, ainda pode recorrer a uma solução, desde que valha a pena.

Se não lembrou de aceder ao E-fatura e deixou passar o prazo de registo de algo circunstancial ao IRS, pode agora recusar a importação automática dos valores acumulados no Portal. Entretanto, com isso, terá de inscrever manualmente todas as despesas diretamente na sua declaração de rendimentos, que pode ser preenchida até dia 31 de maio.

Mesmo aquelas que já tenha validado, terão de ser introduzidas novamente, uma a uma, por isso pense bem se pode ser uma boa alternativa antes de tomar a decisão. Se estivermos a falar de uma fatura de despesas que podem aumentar a redução do IRS, então pode ser vantajoso trocar o E-fatura pela versão manual. Mas, atenção, se não guardou todas as faturas em papel (ou formato digital) durante o ano, não faça o cancelamento da importação das informações, uma vez que pode pode perder tudo.

Tenha cuidado na hora de inserir os montantes no sistema. É essencial adicionar todos os dados corretamente como estão faturados. A DECO aconselha que, mesmo que opte pela importação automática, guarde sempre as faturas e comprovativos por pelo menos quatro anos. Ou seja, as facturas das despesas geradas em 2016 devem ser guardadas até 2021.

Uma dica é digitalizar tudo e gravar num CD ou juntar o IRS de cada ano com seus respetivos documentos organizados em pastas impressos ou numa pen. Se for chamado para uma inspeção fiscal, terá de mostrar esses comprovativos, por isso é indispensável tê-los.

 

Registo das despesas

Para refazer o registo manual das despesas, deve aceder ao IRS e indexar o Anexo H. Preencha os dados como fez nos outros anexos, contudo dê maior atenção ao Quadro 6C. É neste espaço que indicará os valores finais das categorias de despesas. Se assinalar “Sim”, preencha depois os valores totais de educação, saúde, habituação e lares. Se indicar “Não”, os valores são importados diretamente do sistema e-fatura.

Ao completar o processo, verá que há despesas que já não pode registar à mão. Entre elas estão as de: supermercado, telecomunicações, água e luz. São aquelas designadas como “Despesas Gerais Familiares”, no E-fatura.

As despesas com benefício automático de dedução de 15% do IVA também não podem ser alteradas. São elas: restauração, alojamento, institutos de beleza, veterinários e reparação ou manutenção de automóveis e motociclos. Se esqueceu de validar essas, já não pode voltar atrás. Por isso lembre-se de entrar no Portal o ano inteiro, isso poupará imenso o seu tempo na hora de entregar a declaração.

E atenção com as despesas de encargos na reabilitação de imóveis, uma vez que estas têm de ser sempre registadas manualmente!

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar

Your email address will not be published. Required fields are marked *