etiqueta-energetica-labelpackplus-696x355
Melhorias

Já ouviu falar da etiqueta energética?

Usar aquecedores a óleo ou optar por um sistema de aquecimento central? Seja qual for a sua opção, lembre-se que desde setembro de 2015 é obrigatório apresentar a etiqueta do certificado energético referente a todas as novas instalações de aquecimento ambiente e de preparação de água quente.

Porquê a criação da etiqueta energética?

A etiqueta energética foi criada com o objectivo de informar o consumidor, no momento da compra, sobre determinadas características e desempenho dos electrodomésticos, utilizando uma escala de classificação para identificar os mais e os menos eficientes energeticamente. Para além do consumo de energia, apresenta informação sobre outras características dos equipamentos como, por exemplo, a água que consomem ou o ruído que produzem.

Em que consiste a etiqueta energética?

A etiquetagem energética trata-se de uma categorização de um produto de acordo com o seu consumo energético na fase de utilização. Esta categorização é transmitida através da aplicação da etiqueta energética nos produtos abrangidos pela legislação, sendo já comum a apresentação da mesma em eletrodomésticos como frigoríficos, máquinas de lavar e outros aparelhos. Desta forma, a etiqueta irá avaliar o desempenho energético individual de cada aparelho e atribuir-lhe uma categoria.

Deste modo, a etiqueta veio introduzir requisitos de informação uniformizados relativamente a produtos da mesma categoria, disponibilizando aos consumidores informação adicional relativa aos custos de utilização do produto.

Quantas categorias existem?

Os primeiros grupos de aparelhos abrangidos pela nova regulamentação são as máquinas de lavar roupa e louça, aparelhos de refrigeração e televisores. Estes electrodomésticos são classificados de acordo com uma escala, de 7 classes, de A+++ (mais eficiente) a D (menos eficiente).

 

Duas categorias de equipamentos de refrigeração apresentam 10 classes (de A+++ a G): os aparelhos de refrigeração por absorção (ao contrário dos tradicionais de refrigeração por compressão) e os aparelhos de armazenagem de vinho (categoria criada de raiz).

A etiqueta dos televisores, também criada de raiz, tem uma classificação inicial de A a G, migrando para A+++ a D, de forma faseada, até 2020.

Onde posso solicitar a etiqueta energética?

Caso esteja a pensar substituir o sistema de aquecimento e tenha dúvidas relativas ao requerimento da etiqueta energética, entre em contacto com um técnico da ADENE – Agência para a Energia.

Projeto Label Pack A+

O projeto Label Pack A+ lançou a campanha “Check up ao seu sistema de aquecimento” que procura apelar à existência e adesão da etiqueta energética de aquecimento e esclarecer consumidores e instaladores relativamente ao conteúdo da mesma.

O consórcio Label Pack A+ identificou que a maioria dos sistemas de aquecimento são substituídos em situações de emergência, quando deixam de funcionar, em particular no Inverno quando mais necessitamos deles e a urgência da sua substituição impossibilita uma avaliação das soluções disponíveis no mercado e de uma tomada de decisão informada aos vários níveis de desempenho do sistema.

O projeto Label Pack A+ é desenvolvido no âmbito do programa Horizonte 2020 da União Europeia. É liderado pela ESTIF – Federação Europeia da Indústria Solar Térmica e envolve cerca de 11 parceiros em seis países, sendo o consórcio Português constituído pela ADENE – Agência para a Energia, APISOLAR – Associação Portuguesa de Energia Solar e DECO – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor.

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar

Your email address will not be published. Required fields are marked *