relatório de mercado
Guias e Ferramentas

Relatório de Mercado de Arrendamento ra Estudantes 2016

 

O Relatório do Mercado de Arrendamento a Estudantes analisa o perfil dos estudantes que ao longo de 2016 arrendaram casa ou quarto através da Uniplaces em Portugal.

Uniplaces-em-numeros-2016

“Em 2016 a Uniplaces testemunhou um grande crescimento no número de estudantes estrangeiros em Portugal. Esta subida confirma a crescente importância de uma plataforma que facilite o processo de arrendamento. Este tipo de hóspede é, cada vez mais, uma opção por parte de proprietários de imóveis que pretendem rentabilizar ao máximo as suas habitações. É aqui que entra a Uniplaces, uma marca de referência que constrói uma ponte entre estudantes e proprietários, potenciado a rentabilidade dos imóveis e facilitando um arrendamento transparente”,  Miguel Santo Amaro, co-fundador da Uniplaces.


Em 2016, o nosso país recebeu estudantes de mais de 100 países diferentes, com destaque para os alunos provenientes do Brasil (13%). Em contrapartida, a Europa continua a ter um grande peso no número dos estudantes internacionais em Portugal, com mais de um terço sendo proveniente de Itália, Alemanha, Espanha e França.

Os gastos em alojamento, que em média são de 415 euros por mês por quarto, mostram que são os estudantes de nacionalidade portuguesa que gastam menos em alojamento (em média 395 euros), face aos estudantes do Reino Unido, que estão dispostos a pagar 496 euros por mês em média pelo alojamento no nosso país.

A sazonalidade da procura foi também outro dos pontos abordados no Relatório, que mostra a existência de uma maior procura por arrendamento no início dos semestres escolares. Os meses com maior procura são setembro e fevereiro, sendo que, de modo geral, os estudantes fazem a reserva com um mês de antecedência. A estadia média, de quase cinco meses, corresponde ao período semestral das universidades e dos programas de intercâmbio.

Já está na nossa mailing list? Entre em contacto connosco através de portal@uniplaces.com para ter acesso ao relatório. 

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar

Your email address will not be published. Required fields are marked *