rendas das casas
Notícias

Aumento das Rendas em 2018 Vai Ser o Maior dos Últimos 5 Anos

Em 2018, as rendas das casas vão sofrer o maior aumento dos últimos cinco anos. A atualização prevista para o próximo período será de 1,12%. O valor, calculado através dos últimos 12 meses do Índice de Preços do Consumidor (IPC), será aplicado aos inquilinos pelos senhorios.

A notícia foi publicada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) esta terça-feira, 13, e corresponde a cerca do dobro dos 0,54% que serviram de base à subida de 2017. O impacto do acréscimo, por exemplo, numa renda de 300 euros mensais será de 3,90 euros, atingindo os 7,20 euros numa renda de 600 euros. Já nas chamadas rendas antigas, de valor significativamente mais baixo, o cálculo é menor.

Há cerca de um mês, já se falava no aumento acima de 1% para 2018. Em 2013, a inflação foi muito mais expressiva, com uma subida de 3,36%. Os últimos 12 meses mostram um coeficiente que serve de base para a atualização das rendas ao abrigo do Novo Regime do Arrendamento Urbana (NRAU). Estima-se que 600 mil arrendatários residenciais serão afetados na valorização das rendas das casas.

Quando posso atualizar as rendas das casas?

Apesar do coeficiente já estar definido, as regras em vigor só permitem que seja aplicado conforme o que foi determinado no contrato de arrendamento. Sendo assim, os senhorios e inquilinos têm de definir quando irão por em prática o acréscimo nas rendas das casas.

A princípio, pode-se fazer a revisão com total liberdade na hora de rever o contrato de arrendamento. Mas convém estar atento, pois no caso das rendas das casas antigas, que não tenham sido sujeitas a atualização, o aumento é aplicado somente em janeiro.

É importante ressaltar que os contratos de arrendamento anteriores a 1990, não se pode aplicar o aumento. Isso porque Marcelo Rebelo de Sousa, presidente da República, voltou a congelar as rendas antigas por mais oito anos.

A NRAU prevê ainda uma série de fatores para proteger os inquilinos de situações complexas. A lei foi promulgada pelo presidente em junho deste ano, mas segue em vigor há 5 anos.

O senhorio não é obrigado a atualizar o valor, mas se quiser fazê-la tem de notificar o inquilino por carta registada com aviso de receção.

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar

Your email address will not be published. Required fields are marked *